Volume 3
Número 4

20 de julho de 2006
 
 * Edição atual    
Documento sem título


   A visão arrogante da comunicação agrotóxica

          Muitos representantes da indústria agroquímica, em todo o mundo, tem se caracterizado pela tentativa recorrente de fazer calar as vozes divergentes, buscando impedir que aqueles que se opõem a seus interesses possam manifestar-se livremente. Para tanto, lançam mão de ações e estratégias diversas, como o financiamento das mídias, via campanhas publicitárias; processos ou ameças de processos contra jornalistas e veículos e uma ação agressiva junto aos veículos e profissionais de imprensa por meio de agências de comunicação/RP e assessorias de imprensa.

          Como se pode imaginar, numa sociedade globalizada, conectada e
que valoriza os aspectos ambientais, esta postura intimidatória não tem
surtido efeito, o que pode ser comprovado facilmente. O número de mídias
ambientais tem crescido e as referências desfavoráveis a muitas empresas
do setor se contam aos milhares na Web. As denúncias, portanto,
apesar do esforço formidável para sufocá-las, se repetem
todos os dias nos grupos de discussão, nos sites, nas colunas
voltadas às questões ambientais e mesmo nos espaços....